Temas citados nas escolas/universidades

Violência Doméstica

Os números são alarmantes. De acordo com o Ministério de Saúde, em seis anos, foram registrados 5.049 homicídios de crianças com idade até 14 anos. A maior parte dessas agressões provém do ambiente doméstico. Numa pesquisa realizada pelo Laboratório de Estudos da Criança (LACRI), do Departamento de Psicologia da USP, entre 1998 e 2007, foram notificados 159.754 casos de violência doméstica contra crianças. De acordo com dados, apenas 10% dos casos de abusos físicos e psicológicos contra as crianças são denunciados. Já a Unicef estima que, diariamente, 18 mil crianças e adolescentes sejam espancados no Brasil.

Uma prova de que o índice de violência e omissão praticado por pais e familiares contra crianças e adolescentes é alto, são as matérias publicadas na mídia diariamente, denunciando os agressores. “A violência doméstica é toda ação ou omissão que prejudique o bem-estar, a integridade física, psicológica ou a liberdade e o direito ao pleno desenvolvimento de um membro da família. Pode ser cometida dentro e fora de casa, por qualquer integrante da família que esteja em relação de poder com a pessoa agredida. Inclui também as pessoas que estão exercendo a função de pai ou mãe, mesmo sem laços de sangue”, explica a medica e psicanalista, Soraya Hissa de Carvalho.

Segundo Soraya, a violência contra os jovens não se refere somente aos atos que deixam marcas pelo corpo. “A violência pode se manifestar de diversas maneiras além da agressão física. Assim, são comuns ações violentas como ameaças, humilhações e outras formas que afetam psicologicamente as crianças e adolescentes”, explica.

Não dar atenção aos cuidados básicos como saúde, educação, alimentação, higiene corporal e lazer são negligências que podem custar o bem-estar do jovem e por isso, é uma violência também.

Outro tipo de agressão cometida por pais e parentes que pode prejudicar o desenvolvimento emocional, muito comum por aparentemente não causar danos às vítimas, são as violências psicológicas. Comparar a criança com o seu irmão, apontar os defeitos físicos e intelectuais, ou castigar as crianças trancando-as no quarto escuro, são exemplos desse tipo de violência. “É a agressão mais difícil de ser identificada, mas muito comum no ambiente familiar. O agressor acredita que seu ato não passa de uma brincadeira ou uma forma de educar e, por isso, muitas vezes causa sérios traumas e medos na criança”, afirma a psicanalista.

Segundo a pesquisa do LACRI, entre 1998 e 2007 foram identificados 65.669 casos de negligência contra o bem-estar de crianças e adolescentes no país. A violência física fica em segundo lugar, com 49.481; seguida da violência psicológica, com 26.590; e da violência sexual, com 17.482 casos.

Sinais de quem sofre a violência
Segundo Soraya, as crianças e os adolescentes que sofrem violência doméstica costumam apresentar inúmeros sinais físicos e psicológicos que podem ser observados através de seu comportamento. “A criança ou adolescente, vítima de violência, sofre freqüentemente fortes traumas e reage a eles de maneira diversa. Assim, alguns modificam seu comportamento regular, tornando-se tristes, agressivos, rebeldes, tensos ou infantis para sua idade. Essas mudanças de atitude são ‘pedidos de socorro’, nos quais as pessoas próximas a ela devem estar atentas”, alerta a médica.

Entre os principais sinais estão:

·         Ansiedade
·         Choros constantes sem aparente motivo
·         Medo
·         Pesadelos
·         Tentativas de suicídio
·         Marcas de violência no corpo
·         Conhecimento precoce
·         Ataque de pânico,
·         Baixo rendimento
·         Sentimento de inferioridade

Tratamento
Uma criança que sofre ou sofreu violência doméstica pode ficar com seqüelas para o resto da vida, se não fizer tratamento adequado. Por isso, é aconselhado, além de um acompanhamento médico e judicial, que as vítimas e os agressores passem por um tratamento psicológico.

Os agressores
Segundo a psicanalista, os agressores muitas vezes são pessoas que já passaram por violência na infância, alcoólatras e viciados em drogas, mães muitos jovens que não tiveram o preparo e o apoio, ou pessoas com algum distúrbio mental e de personalidade. 

Mas, segundo Soraya, independente de quem seja o agressor, e os problemas que tem, nada justifica a agressão a uma criança e o mesmo deve ser denunciado ao Conselho Tutelar. “Infelizmente, denunciar uma situação de violência doméstica ainda não faz parte de nossa cultura patriarcal, na qual ainda persiste a idéia de que os pais são os melhores amigos e conselheiros, só desejando o bem-estar dos filhos”, finaliza a psicanalista.

Violência doméstica física

Segundo Azevedo & Guerra (2007) Corresponde ao emprego de força física no processo disciplinador de uma criança ou adolescente por parte de seus pais (ou quem exercer tal papel no âmbito familiar como, por exemplo, pais adotivos, padrastos, madrastas). A literatura é muito controvertida em termos de quais atos podem ser considerados violentos: desde a simples palmada no bumbum até agressões com armas brancas e de fogo, com instrumentos (pau, barra de ferro, taco de bilhar, tamancos etc.) e imposição de queimaduras, socos, pontapés. Cada pesquisador tem incluído, em seu estudo, os métodos que considera violentos no processo educacional pais-filhos, embora haja ponderações científicas mais recentes no sentido de que a violência deve se relacionar a qualquer ato disciplinar que atinja o corpo de uma criança ou de um adolescente. Prova desta tendência é o surgimento de legislações que proibiram o emprego de punição corporal, em todas as suas modalidades, na relação pais-filhos (Exemplo: as legislações da Suécia - 1979; Finlândia - 1983; Noruega - 1987; Áustria - 1989).

 Violência doméstica psicológica

Segundo Azevedo & Guerra (2007), a violência psicológica também designada como "tortura psicológica", ocorre quando o adulto constantemente deprecia a criança, bloqueia seus esforços de auto-aceitação, causando-lhe grande sofrimento mental. Ameaças de abandono também podem tornar uma criança medrosa e ansiosa, representando formas de sofrimento psicológico.
Pode se manifestar como:
  • Isolamento emocional
  • Dificuldades de fala ou linguagem
  • Ausência de contato olho-a-olho
  • Medo (real ou aparente) da vítima em relação ao agressor(es)

 Violência sexual

Segundo Azevedo & Guerra (2007), configura-se a violência sexual doméstica como todo ato ou jogo sexual, relação hetero ou homossexual, entre um ou mais adultos e uma criança ou adolescente, tendo por finalidade estimular sexualmente esta criança ou adolescente, ou utilizá-la para obter uma estimulação sexual sobre sua pessoa ou de outra pessoa. Ressalte-se que em ocorrências desse tipo, a criança é sempre vítima e não poderá ser transformada em ré. A intenção do processo de Violência Sexual é sempre o prazer (direto ou indireto) do adulto, sendo que o mecanismo que possibilita a participação da criança é a coerção exercida pelo adulto, coerção esta que tem raízes no padrão adultocêntrico de relações adulto-criança vigente em nossa sociedade... a Violência Sexual Doméstica é uma forma de erosão da infância.

[editar] Negligência

Segundo Azevedo & Guerra (2007, a negligência consiste uma omissão em termos de prover as necessidades físicas e emocionais e uma criança ou adolescente). Configura-se quando os pais (ou responsáveis) falham em termos de alimentar, de vestir adequadamente seus filhos, de prover educação e supervisão adequadas, e quando tal falha não é o resultado das condições de vida além do seu controle. A Negligência pode se apresentar como moderada ou severa. Nas residências em que os pais negligenciam severamente os filhos, observa-se, de modo geral, que os alimentos nunca são providenciados, não há rotinas na habitação e para as crianças, não há roupas limpas, o ambiente físico é muito sujo com lixo espalhado por todos os lados, as crianças são muitas vezes deixadas sós por diversos dias. A literatura registra entre esses pais, um consumo elevado de drogas, de álcool, uma presença significativa de desordens severas de personalidade. Recentemente, o termo vem sendo ampliado para incorporar a chamada supervisão perigosa. [Cf. Azevedo, Maria Amélia e Guerra, Viviane N. de Azevedo (1998:184 e ss). Infância e violência fatal em família. São Paulo: Iglu]

 Violência Doméstica Fatal

Segundo Azevedo & Guerra (2007, a violência fatal é aquela praticada em família contra filhos ou filhas, crianças e/ou adolescentes, cuja conseqüência acaba sendo a morte destes. Tem sido denominada, impropriamente, de infanticídio (quando a vítima é um bebê em suas primeiras horas de vida), assassinato Infantil (homicídio de crianças no lar ou fora dele), ou filicídio (morte dos filhos praticada por pais consangüíneos ou por afinidade). A impropriedade desses termos decorre do fato de serem:
parciais, não cobrindo todo o espectro de vítimas e/ou agressores; genéricos, misturando, por vezes, sob uma mesma rubrica, mortes ocorridas dentro e fora da família, ou ainda, conceituações médicas com outras de caráter legal; camuflar dores da violência subjacente às ações ou omissões fatais praticadas em família.

[editar] Super-proteção

No caso de super-proteção familiar, os pais/cuidadores da criança muitas vezes são bem educados; o abuso neste caso é a super-proteção dado à criança, que a isola da sociedade. Motivos são vários, como alta criminalidade na região ou outro medo irracional dos pais. Este risco aumenta se a criança e a família vivem em lugares isolados como uma fazenda, por exemplo.
Fonte:www.wikipedia.com/pt/violenciadomestica/

A Inglaterra

O uso de roupas


O tipo de roupas usadas por uma dada pessoa varia de região a região e de pessoa a pessoa, e também da ocasião. Isto acontece basicamente porque:

Diferentes roupas são usadas em diferentes ocasiões e lugares, como, por exemplo, trabalho, escola ou casa.

Diferentes roupas são usadas em climas diferentes.

Como no verão:Usamos roupas mais leves e frescas.

Diferentes crenças e opiniões, como religião ou mera questão de conforto, por exemplo.

Diferentes materiais disponíveis para a fabricação de roupas. Estes materiais variam de região a região e produzem roupas com características diferentes. Com o advento da globalização, elas podem ser facilmente transportadas de um local a outro.

Diferenças no modo de fabricação destas roupas. Na maioria dos países industrializados, pessoas compram roupas que já estão prontas para o uso. Mas em países pouco industrializados ou menos desenvolvidos, ou em lugares isolados, pessoas fabricam suas próprias roupas em casa.

Diferença no poder de compra das pessoas.

Conforto e decoração

No dia-a-dia, a maioria das pessoas usa roupas que são confortáveis na sua opinião. Muitas pessoas também usam roupas que as fazem sentir atractivas aos olhos de outras pessoas. Mesmo roupas cujo principal objetivo é proteger, como roupas de chuva, são feitas em cores e estilos diferentes. Muitas pessoas aceitam mudanças frequentes em estilos de roupas porque elas querem sentir-se atractivas vestindo a mais nova tendência. É a [moda]! Uma mulher, por exemplo, pode parar de usar um velho vestido, mesmo que este esteja em ótimas condições. Ela o faz porque acredita que esta roupa não a faz tão atractiva quanto outro tipo mais novo de vestido.

Por outro lado, outras pessoas acreditam que é errado o uso de roupas para mera decoração, e que, em vez da vaidade, pessoas deveriam importar-se com problemas maiores. Membros do grupo religioso amish pensam desta maneira. Homens deste grupo vestem simples roupas pretas e as mulheres, vestidos longos e simples. E todo sempre.

Comidas Típicas

A gastronomia da Inglaterra, está voltada principalmente aos frutos do mar, a peixes e frituras, batata frita, carne de porco com ervilha, que é um prato que o inglês gosta muito de comer, e que encontra-se em seus restaurantes, nos shoppings as cadeias de fast food, junto as suas áreas de alimentação, sendo que em Londres o turista irá encontra e poderá apreciar comida típica de vária partes do mundo, através de restaurantes, nos seu mais diversos pontos da cidade londrina.

Comer em um restaurante em Londres, o turista terá a disposição pratos franceses italianos, portugueses, indianos, japoneses, são pratos da cozinha internacional, preparados pelos seus chefs de cozinha, e que oferecem junto a seus cardápios, além da comida os vinhos, bebidas.

O café da manhã inglês, feito com torrada com ovo frito, bacon, tomate, salsicha, acompanhado de um chá escuro, que tem a sua origem da Índia, que é o país que produz um chá de excelente qualidade, e que é servido sempre nas refeições.

O yorkshire pudding, é um prato típico inglês, feito de farinha, leite, e ovos, e demais ingredientes, tanto o sal quanto o açúcar, sempre presente a mesa, assim como o rosbife, com batatas podendo ser fritas, e também ser assada, a torta de maça é muito apreciada pela culinária inglesa, sempre faz presente na escolha do inglês para as suas refeições. Porém é de cara, o prato típico inglês os peixes e as frituras, o chamado Fish and chips. Para quem adora uma boa sobremesa, um doce o pudim, é sempre bem vindo a mesa, e muito apreciado pela culinária , pois é tradicional a sua inclusão na mesa, assim como a torta de maça.

Fonte: www.inglaterratur.com.br

Governo

A Inglaterra é uma das nações constituintes do Reino Unido. Historicamente dominante, ocupa a metade sul da ilha da Grã-Bretanha, à excepção de uma área a oeste, correspondente ao País de Gales. Limita a Norte com a Escócia, a Leste com o mar do Norte, a Sul com o canal da Mancha e a Oeste com o oceano Atlântico, Gales e o mar da Irlanda. Sua capital é Londres. Tem uma área de 130 439 quilômetros quadrados, e uma população de 49 milhões de habitantes.

A área que é agora chamada de Inglaterra foi ocupada por povos de várias culturas por cerca de 35.000 anos, mas leva o seu nome dos Anglos, uma das tribos germânicas que se instalaram entre o séculos V e VI. A Inglaterra tornou-se um Estado unificado em 927 DC, e desde a época dos Descobrimentos, que iniciou-se no século XV, teve um significativo impacto cultural e jurídico em todo o mundo. O idioma Inglês, a Igreja Anglicana e o sistema parlamentar tem sido amplamente adotado por outras nações. A Revolução Industrial teve origem na Inglaterra no século XVIII, transformando o país no primeiro país industrializado e os seus Royal Society lançou as bases da ciência experimental moderna.

O Reino da Inglaterra, que depois de 1284 incluiu Gales, era um Estado soberano até 1 de Maio de 1707, quando os Atos de União pôs em prática as condições estabelecidas no Tratado da União do ano anterior, resultando em uma união política com o Reino da Escócia para criar o Reino Unido da Grã-Bretanha. Em 1800, a Grã-Bretanha uniu-se com a Irlanda através de uma outra lei da União para se tornar o Reino Unido da Grã-Bretanha e da Irlanda. Em 1922 o Estado Livre Irlandês foi estabelecido como um domínio separado, posteriormente a Irlanda do Norte foi incorporada ao Reino Unido, criando o Reino Unido da Grã-Bretanha e da Irlanda do Norte.

Pontos Turísticos e Culturais da Inglaterra

Os pontos turísticos e culturais mais conhecidos da Inglaterra, informações, fotos, localização


Big Ben (Londres), Leeds Town Hall (Leeds), Teatro Playhouse (Liverpool) e Museu Lowry (Manchester)

Introdução

 A Inglaterra apresenta interessantes pontos turísticos e culturais. Em função de seu rico passado e do bom desenvolvimento econômico, podemos encontrar em seu território, locais que atendem ao gosto de praticamente todos os tipos de turistas. São diversos museus, parques, teatros, monumentos, castelos, construções históricas e muito mais.

Principais pontos turísticos e culturais da Inglaterra:

Em Londres

- Big Ben

- Museu de Londres

- Palácio de Buckingham

- Globe Teathre

- Tate Gallery

- Abadia de Westminster

- Casas do Parlamento

- Museu de Cera Madame Tussaud

- Palácio de St. James

- Tower Bridge

- London Eye

- Torre de Londres

- National Gallery

- Hyde Park


Em Liverpool

- Catedral Anglicana

- Catedral Católica

- El Albert Dock

- Bairro Canning

- Teatros Playhouse y Empire

- Museu Tate

- Prédio do Porto de Liverpool

- Porto de Liverpool

- Galeria de Arte Walker

- Museu Marítimo Merseyside

- Galeria de Arte Lady Lever


Em Manchester

- Museu Lowry

- Galeria de Arte de Manchester

- Museu de História de Manchester

- Manchester Bridgewater Hall (salão de concertos)

- Dancehouse (teatro)


Em Leeds

- Leeds Town Hall

- Abadía de Kirkstall

- Parque de Roundhay

- St Annes Cathedral


Bandeira da Inglaterra

Aplicação ...

Proporção 3:5

Adoção Século XVI

Cores Branco

Vermelho









Nenhum comentário:

Postar um comentário